FANDOM


Este artigo inclui conteúdo CC-BY-SA do artigo GeGeGe no Kitarō da Wikipédia (autores)
Mural de Yokai

GeGeGe no Kitarō (ゲゲゲの鬼太郎) é uma franquia multimídia iniciada em 1960 pelo mangaká Shigeru Mizuki. É mais conhecido pela popularização das criaturas folclóricas conhecidas como yōkai, uma classe de espíritos-monstros à qual pertencem todos os personagens principais. A história segue Kitarō, um jovem rapaz da Tribo Fantasma nascido em um cemitério, e as aventuras e batalhas que ele tem com vários yōkai de todo o Japão.

Começando como um kamishibai em 1954, foi adaptado para várias mídias, como mangás, animes, romances, live action, peças teatrais e videogames.

A frase "GeGeGe" é originada do apelido de infância de Mizuki, GeGe, que lhe foi dado pois ele tinha dificuldade em dizer seu próprio nome, ficando preso no meio da sílaba "ge".

Visão geral

GeGeGe no Kitarō enfoca o jovem Kitarō - o último sobrevivente da Tribo Fantasma - e suas aventuras com outros fantasmas e criaturas estranhas da mitologia japonesa. Junto com: os restos mortais de seu pai, Medama-Oyaji (um fantasma mumificado reencarnado no seu globo ocular); Nezumi-Otoko (o homem-rato); Neko-Musume (a menina-gato); e uma série de outras criaturas folclóricas; Kitarō se esforça para unir os mundos dos humanos e yōkai.

Muitas histórias envolvem Kitarō enfrentando uma miríade de monstros de outros países, como o vampiro chinês Yasha, o transilvano Drácula IV e outras criaturas não-japonesas. Além disso, Kitarō também derrota vários yōkai malévolos que ameaçam o equilíbrio entre as criaturas japonesas e os humanos.

Algumas histórias fazem referência explícita aos contos tradicionais japoneses, mais notavelmente o conto popular de Momotarō, no qual o jovem herói defende um território japonês de demônios com a ajuda dos animais nativos. A história "A Grande Guerra Yōkai" (妖怪大戦争, Yōkai Dai-Sensō) extrai uma grande influência deste conto, com Kitarō e seus amigos yōkai dirigindo um grupo de yōkai ocidentais para longe de uma ilha.

Enquanto o personagem de Kitarō em GeGeGe no Kitarō é um garoto amigável que genuinamente quer o melhor para humanos e yōkai, sua encarnação anterior em Hakaba Kitarō o retrata como um personagem muito mais sombrio e travesso. Sua aparente falta de empatia pelos seres humanos combina com sua ganância geral e seu desejo por riqueza material o leva a agir de maneira imprópria para com os personagens humanos - muitas vezes ilusoriamente levando-os a situações de pesadelo ou até mesmo ao próprio inferno.

Personagens

Elenco principal
Elenco de suporte
Vilões e elenco recorrente

História

Kamishibai

KitaroKamishibai

Ilustração original do kamishibai Hakaba no Kitarō, com um protótipo do que seria o personagem Kitarō. Esta imagem retrata o personagem de Kitarō como significativamente mais assustador e ameaçador do que a versão de Mizuki.

A história do personagem Kitarō começou em 1933, com um kamishibai escrito por Masami Itou e conhecido como "Hakaba Kitarō" (墓 場 鬼 太郎, Kitarou do Cemitério). Acredita-se que seja uma reinterpretação solta do popular conto japonês chamado Kosodate-Yūrei. Em 1954, Mizuki foi convidado a adaptar a história de Itou por seu editor.

Mangá

Família kitaro na capa da shonen magazine

Capa da Shōnen Magazine com o elenco de GeGeGe no Kitarō.

Após a popularidade dos kamishibai entrarem em declinio, "Hakaba Kitarō" foi publicado como um mangá a partir de 1960, mas foi criticado por ser considerado assustador demais para o público infantil. Em 1965, foi renomeado para "Hakaba no Kitarō", aparecendo na revista Shonen Magazine. usando versões atenuadas das histórias mais irônicas e assustadoras do mangá original. A série foi renomeada para GeGeGe no Kitarō em 1967 e continuou na Shonen Sunday, Shonen Action, Comic Bon Bon e muitas outras revistas. Histórias sobre a adolescência de Kitarō foram brevemente publicadas em Shukan Jitsuwa. O mangá foi reimpresso várias vezes, mas nenhuma coleção contém toda a série, e cada coleção é ordenada de forma diferente.

Em 2002, GeGeGe no Kitarō foi traduzido pra o inglês por Ralph F. McCarthy e compilado por Natsuhiko Kyogoku para o Kodansha Bilingual Comics.

Em 2013, uma compilação das histórias clássicas do mangá dos anos 60 foi lançada pela Drawn & Quarterly, com tradução para o inglês de Jocelyne Allen e uma introdução de Matt Alt.

Anime

A primeira versão animada, GeGeGe no Kitarō, foi transmitida pela primeira vez na Fuji Television em 3 de janeiro de 1968. Posteriormente, novas versões foram produzidas a cada década seguinte; todos animados pela Toei Animation e exibidas na Fuji TV. A terceira, quarta e quinta adaptações receberam filmes para o cinema.

Em janeiro de 2008, um novo anime baseado na história original de Hakaba Kitarō começou a ser transmitido no final da noite na Fuji TV, no bloco Noitamina.

Música

O tema de abertura de todas as seis séries é "GeGeGe no Kitarō", originalmente interpretada por Kazuo Kumakura e refeito por um novo artista para cada adaptação, começando com a 3ª série. Hakaba Kitarō tinha sua própria música tema original, Mononoke Dance, da Denki Groove.

Live-action

A primeira adaptação em live-action de Kitarō foi um telefilme em 1985. Em 1987, foi lançado um filme destinado a VHS intitulado de GeGeGe no Kitarō: Demon Flute. Em 2007, um filme para os cinemas estrelado por Eiji Wentz como Kitarō foi lançado, com uma sequela sendo lançada no ano seguinte. Em todas as quatro adaptações, Medama-Oyaji é dublado por Isamu Tanonaka.

Drama em rádio

Um drama em rádio foi ao ar em 1978 na TBS Radio . Cobriu as histórias "O Nascimento de Kitarō", "Hakusanbō", "A Grande Guerra Yōkai" e "Trem Fantasma", entre outros. Apresentou o elenco original do anime de 1968 e 1971, com Masako Nozawa e Isamu Tanonaka reprisando seus papéis como Kitarō e Medama-Oyaji respectivamento, assim como Chikao Ōtsuka reprisando seu papel como Nezumi-Otoko. A série foi narrada pelo amigo íntimo de Mizuki, Ikkaku Tanabe.

Em 2006, um drama em rádio especial, GeGeGe no Kitarō: All Night Nippon, que contou com o mesmo elenco do drama original, foi transmitido pela Nippon Broadcasting System.

Romances

Jogos eletrônicos

Ver também

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.