FANDOM


Foram produzidas seis séries em anime de GeGeGe no Kitarō em cada década desde 1968. Todos os animes foram transmitidos na Fuji TV e produzidos pela Toei Animation. Desde os anos 1990, os animes passaram a ser exibidos nas manhãs de domingo (um horário comum para séries infantis).

Visão geral

Exibição Episódios
1 3 de janeiro de 1968-30 de março de 1969 65
2 7 de outubro de 1971-28 de setembro de 1972 45
3 12 de outubro de 1985-21 de março de 1998 115
4 7 de janeiro de 1996-29 de março de 1998 114
5 1 de abril de 2007-29 de março de 2009 100
6 1 de abril de 2018-20 de março de 2020 97
Total 1968-2020 536

Produção

Script hakaba no kitaro

Roteiro do episódio "Fantasma Noturno" sob o título de Hakaba no Kitarō.

Com a boa recepção da adaptação em live-action de Akuma-kun (também criada por Shigeru Mizuki), a Toei Animation iniciou o planejamento de um anime baseado em Hakaba no Kitarō que seria exibido na NET (atualmente TV Asashi) com o mesmo patrocinador do live-action. A ideia não seguiu a diante, pois o patrocinador se recusava a financiar um projeto com a palavra "Hakaba" (que significa "Cemitério").[1]

O projeto foi então transferido para a Fuji TV, mas temendo por uma outra desistência dos patrocinadores, a equipe responsável pelo anime propôs a mudança de título para algo mais "seguro". Não é claro o tipo de reação que Mizuki teve ao receber a proposta. Em seu mangá autobiográfico Não está claro que tipo de reação Mizuki recebeu ao receber esta proposta. No mangá autobiográfico "Eu sou GeGeGe", é mostrado que o próprio autor sugeriu a troca para GeGeGe. Além disso, no drama televisivo de GeGeGe no Nyōbō, é revelado que o título foi inspirado nos versos Ge Ge GeGeGe no Ge da canção tema (que foi lançada bem antes do anime). A frase "gegege" é baseada no apelido de Mizuki na infância "GeGe", devido a ele não conseguir pronunciar seu nome corretamente quando era criança.[2]

O primeiro anime estreou em janeiro de 1968, é o único da franquia em preto-e-branco e o primeiro anime da Toei Animation transmitido na Fuji TV. Em outubro de 1971, o segundo anime começou a ser exibido e ao contrário do seu predecessor, a animação é em cores. A partir desta série, Neko-Musume se junta ao elenco principal. É considerada uma sequência do anime anterior, devido às altas semelhanças e por não apresentar releituras das mesmas histórias. Muitos contos de Mizuki que não faziam parte do mangá de Kitarō foram adaptados para a segunda série graças à falta de histórias do mangá para suprir os quarenta e cinco episódios.

Devido a popularidade das duas séries, vários os planos para um novo anime apareceram com frequência até o final da década de 1970, mas não se concretizaram. Um remake em live-action foi planejado na década de 1980, e foi exibido como um telefilme no especial Monday Drama Land em agosto de 1985, mas a realização de uma série foi abandonada graças à oposição da Fuji TV[3]. A ideia foi alterada para um projeto de animação e o terceiro anime estreou em 1985, 14 anos após a série de 1971. A partir dessa versão, os animes de Kitarō passaram a ser remakes das duas primeiras séries, enfatizando mais o lado shōnen das histórias. A classificação do público costuma a exceder 20% e, em alguns casos, chega a 30%.

Elenco

Seiyū Kitarō Medama-Oyaji Nezumi-Otoko Neko-Musume Sunakake-Babaa Konaki-Jijii Ittan-Momen Nurikabe
1ª Série Masako Nozawa Isamu Tanonaka Chikao Ōtsuka Yōko Ogushi Yōko Ogushi Ichirō Nagai Keaton Yamada
2ª Série Keiko Yamamoto Kōji Yada
3ª Série Keiko Toda Kei Tomiyama Yūko Mita Hiroko Emori Ichirō Nagai Jōji Yanami Yūsaku Yara
4ª Série Yōko Matsuoka Shigeru Chiba Chinami Nishimura Keiko Yamamoto Kōzō Shioya Naoki Tatsuta
5ª Série Minami Takayama Wataru Takagi Hiromi Konno Naoki Tatsuta Jōji Yanami Naoki Tatsuta
6ª Série Miyuki Sawashiro Masako Nozawa Toshio Furukawa Umeka Shōji Mayumi Tanaka Bin Shimada Kappei Yamaguchi Bin Shimada

Filmes

Canções

Referências

  1. GeGeGe no Nyōbō, Parte 104
  2. Informação vinda em panfleto publicitário do live-action de 2007
  3. Entrevista com o produtor Susumu Yoshikawa, Toei Hero MAX, Vol. 26, Página 75.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.