FANDOM


Esta subpágina consiste em apresentar os retratos de Kitarō, personagem que ao longo das adaptações teve mudanças em sua personalidade e aparência física.

Mangá

Mangá de aluguel

Ver artigo principal: Hakaba Kitarō

Kitarō é filho dos dois últimos sobreviventes da outrora prestigiada família yōkai, a Tribo Fantasma. Antes de seu nascimento, os pais de Kitarō secretamente se integraram à sociedade humana para que sua mãe, Iwako, pudesse encontrar trabalho para pagar o tratamento da doença de seu marido. Ambos os pais morreram antes do nascimento do filho, mas três dias depois Kitarō nasceu dentro da sepultura e rastejou para a superfície. Ele imediatamente se deparou com um homem chamado Mizuki, que tinha conhecido brevemente os pais de Kitarō e que enterrou sua mãe. Mizuki ficou horrorizado com sua aparência de Kitarō e o jogou para longe aterrorizado. Quando ele caiu, o olho esquerdo de Kitarō pulou para fora da órbita quando seu rosto atingiu a borda de uma lápide.

Deixado chorando na chuva no cemitério, Kitarō foi salvo quando seu pai se regenerou num pequeno corpo com seu globo ocular, tornando-se Medama-Oyaji, e levou seu filho de volta para a casa de Mizuki. Mizuki decide adotá-lo enquanto Medama-Oyaji se mantém de olho nele das sombras.

Anos mais tarde, Kitarō se tornou uma criança medonha, seus colegas de escola o temiam e o provocavam por sua aparência horrível. A mãe de Mizuki também tinha medo dele e frequentemente pedia a Mizuki para expulsá-lo de casa. Sem amigos da idade dele, Kitarō começou secretamente a ir ao cemitério à noite com Medama-Oyaji para passear no Inferno. Mizuki eventualmente descobre isso depois de segui-lo uma noite e confisca sua passagem de ida ao Inferno. Achando difícil acreditar que Kitarō estava viajando para o submundo, ele tenta por si mesmo, mas acaba preso do outro lado.

A mãe de Mizuki começa a suspeitar do envolvimento de Kitarō no desaparecimento do filho. Depois que uma Vidente avisa sobre um "mononoke" perto dela, ela confronta Kitarō e Medama-Oyaji. Eles concordam em levá-la ao Inferno para vê-lo, mas é lançado um feitiço sobre ela que a convence que ela empurrou Kitarō de um penhasco no Portão do Inferno. Ela enlouquece e é levada, deixando Kitarō e seu pai para viver sozinhos na casa.

No entanto, eles são logo despejados pois não há ninguém para pagar as contas. Em pouco tempo, a alma de Kitarō é capturada pelo vampiro yōkai Yasha, que o usa para atrair vítimas. Tocando a melodia hipnótica de Yasha em um violino, Kitarō sem querer e sem saber atrai várias pessoas para suas mortes. Depois que Yasha se expõe durante uma apresentação ao vivo na TV, ele e Kitarō se mudam e assumem uma pousada, esperando que as vítimas engordem antes que Yasha se banqueteie com elas. Com a ajuda da última vítima pretendida de Yasha, a artista de mangá sem dinheiro Nashita Kaneno, Medama-Oyaji foi capaz de libertar a alma de Kitarō e todos eles escaparam enquanto Yasha lutava contra o Drácula IV.

Shōnen Magazine

Guerra do Vietnã

Batalha com Satã

Tour Fantasma Mundial

Final de 1970

Shōnen Magazine

Década de 1980

Guerra com o Império Mu

Anime

1ª e 2ª Série

Kitaro no anime de 1968
Kitaro no anime de 1971

Ele é basicamente o mesmo personagem do mangá, com mais ênfase em seu senso de justiça. O primeiro anime também deu a ele uma personalidade mais infantil, enquanto o segundo o tornou um pouco mais maduro.

3ª Série

O senso de justiça e a personalidade apaixonada de Kitarō estão mais fortes. Sua fraqueza por garotas bonitas também é estabelecida aqui. Comparado com o resto da franquia, ele é muito mais ativo, com apenas fragmentos de sua personalidade mais calma e melancólica do mangá. Embora ele deseje muito a coexistência entre humanos e yōkai, ele pode lidar com punições muito severas, como quando ele atacou Yamada repetidamente por transformá-lo no Dai Kaijū.

4ª Série

Por causa do estilo mais descontraído dessa adaptação, ele é muito mais calmo e tem um lado "seco". Por causa disso, há mais casos em que ele perdoa um yōkai sem derrotá-lo. Ele também não tem mais uma fraqueza por garotas bonitas e, em vez disso, é mais gentil. Ele geralmente fica calmo mesmo quando está irritado, mas tem alguns momentos em que reage mais violentamente, como quando ele atacou Wanyūdō com um cano de chumbo por ter transformado Neko-Musume em um diamante e comer sua alma[1] e quando ele atacou Genzō Furunoguni por falar mau de Anagura-Nyūdō depois que ele se sacrificou para salvar os seres humanos[2]. No entanto, ele ainda protagoniza momentos ocasionais de comédia.

5ª Série

Representado agora como um menino eternamente jovem, Kitarō ainda tem um senso de justiça e um lado infantil, no entanto, agora é mais cínico. Em contraste com as adaptações anteriores do anime, seu desejo de que os humanos e os yōkai coexistam é significativamente mais fraco e ele está mais disposto a punir os humanos que cometem atos perversos, especialmente se há crianças envolvidas. No entanto, ele ainda vive momentos cômicos. Sua fraqueza por garotas bonitas também é revivida. Quando Gorgon não conseguiu absorver o mal da alma de Kitarō, Konaki-Jijii afirmou que Kitarō possuía "um coração que não se inclina para o bem ou para o mal". Um flashback no episódio 85 revelou que, quando criança, seu poder de yōkai era tão selvagem que destruiu uma aldeia inteira. Ele foi elogiado por Aobōzue e daquele momento em diante olhou para o mesmo como um irmão mais velho, até mesmo chamando-o de "Ao-niisan" (蒼兄さん, Grande Irmão Ao).

6º anime

No sexto anime ele tem uma personalidade distante e contundente, raramente altera suas expressões faciais. Além do anime Hakaba, esta é a primeira série em que é mencionado que ele foi criado por Mizuki e é afirmado que ele ajuda os humanos a retribuir o favor. Fora isso, ele é apresentado como sendo bastante frio e anti-social para com os humanos. Sob a opinião de que não é bom para os humanos a exposição excessiva com os yōkai, ele tenta ao máximo evitar o mundo humano o máximo possível. No entanto, como no quinto anime, ele está disposto a punir humanos perversos por seus crimes, como quando ele enganou o fantasma de um chefe de empresa, que regularmente abusava e intimidava seus funcionários até cometer suicídio, no trem fantasma para o Inferno.

Filmes

Referências

  1. Anime de 1996, Episódio 5
  2. Anime de 1996, Episódio 107
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.